28.8.16

Tag: Onde eu iria


Eu vi essa tag no blog Sorriso Espontâneo e isso de escolher um lugar pra cada item me deixou com vontade de responder na hora! Não conheço a maioria dos lugares que escolhi, mas o que não falta é vontade, haha. Fica aqui como uma checklist! Então, os lugares para onde eu iria…

  1. Tomar um café
    Algum Starbucks da Avenida Paulista (São Paulo/Brasil)


    Foto de D2F Engenharia  
    Clichê nº 1: Starbucks. Mais especificamente o que tem dois andares, próximo ao Masp. Tenho ótimas lembranças, horas de conversa jogada fora ali com amigos. <3

  2. Passear ao ar livre Central Park (Nova York/EUA)


     
    Poderia ser o Parque Ibirapuera se fosse um simples passeio, mas é que passei tão rapidinho pelo Central Park que não vi muito de lá (tipo a estátua da Alice), então gostaria de ir de novo com calma.

  3. Beber com os amigos
    Temple Bar (Dublin/Irlanda)



    Nunca me imaginei num dos pubs de lá tomando uma Guinness conversando com meus novos amigos irlandeses (e/ou brasileiros), não, magina.

  4. Num encontro romântico
    Veneza (Itália)



    Clichê n º 2: Quero passear de gôndola, deve ser mágico! Não ia nem ligar pro cara, só ia ver a paisagem.

  5. Ver arte
    Museu do Louvre (Paris/França)



    Clichê nº 3: Quero ir no Louvre, mas não só pela Monalisa, mas também pelas antiguidades egípcias.

  6. Comer
    Buenos Aires (Argentina)


    Foto de Chris Freeland
    Todo mundo elogia o famoso churrasco argentino, e é uma das refeições que eu com certeza faria lá em Buenos Aires.

  7. Apreciar a paisagem
    London Eye (Londres/Inglaterra)



    Ir nessa roda gigante é um dos meus sonhos, imagina a vista de lá?

  8. Fazer compras
    Orlando (Flórida/EUA)


    Foto de Michael Kappel
    Tem gente que separa um dia só pra compras nas viagens, mas eu nunca tive esse desejo, a não ser por Orlando. Tem taaaantas coisas que eu quero comprar nos parques de lá, e acho que aproveitaria pra ir nos outlets também. :)

  9. Pra balada
    Posso falar Irlanda de novo? A verdade é que eu só vou para baladas meio que arrastada, então, não tenho um lugar específico aqui, iria onde eu tivesse amigos para me acompanhar. :)

  10. Ficar sozinho
    Inverness (Escócia)



    Essa escolha é totalmente culpa de Outlander! Mas as Terras Altas é uma viagem que eu imagino fazendo sozinha – visitando os castelos, o Lago Ness… Claro que o sozinho aí é naquele sentido de “sozinha em meio a uma multidão”, mas acho que conta. ;P

E vocês, pra quais lugares iriam?

18.8.16

Batom Maria Antonieta - Branquela Sardenta da TBlogs


No último post sobre batom aqui no blog eu falei que queria um batom roxo. Demorou um pouco, mas finalmente comprei! O escolhido foi o Maria Antonieta, da coleção Queens da Branquela Sardenta, da marca TBlogs.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

A marca diz que o batom tem Vitamina E, fixação prolongada, secagem rápida e que não escorre (tem também um cheirinho de bala, que eu até gostei, haha). Realmente, a secagem é rápida, tem até que tomar cuidado para não borrar senão não sai. E quando seca fica bem seco, não transfere nada! Agora quanto a fixação prolongada…

Meus lábios não estavam secos, não tinha nenhuma pelinha fora do lugar, e eu segui a instrução da caixinha e não pressionei um lábio no outro durante a aplicação. Ainda assim o batom deu uma craquelada. :( Não resistiu a nenhuma refeição, ele começou a cair os pedaços, principalmente no meio dos lábios. E ao contrário dos outros batons mattes que vão saindo mas permanece um pouco da cor, esse aqui foi caindo e deixando um espaço no meu lábio, ficou bem feio mesmo.

Fiz outro teste, passei menos batom – porque vai que eu tava exagerando na camada, né? – mas tive o mesmo problema. A situação tava tão séria que, pra testar, esfreguei um lábio no outro e o batom esfarelou todinho! A única salvação foi passar uma camadinha de balm por baixo! Dessa forma, ele fica parecendo um batom matte de bala e transfere um pouco, mas pelo menos vai saindo de uma maneira mais bonita e não deixando espaços no lábio.

2

Agora a cor é incrível, o roxo que eu queria mesmo! É um pouco mutante, mas isso era esperado. Dependendo da luz (e de quantas camadas você passou) ele puxa mais para o vinho ou para um tom uva.

Esse é o meu primeiro batom da TBlogs e eu acho que dei azar mesmo, porque todo mundo sempre diz que os batons desenvolvidos pelas blogueiras são incríveis. :( Isso não significa que eu vou desistir da marca, já tenho até uma lista de batons de outras coleções que eu quero, haha, mas espero me dar melhor com esses próximos.

E vocês, tem alguma dica pra usar batom matte líquido?

11.8.16

E eu li Harry Potter and the Cursed Child…


Começo o post com um momento diferentona (ainda posso resgatar esse meme?): ao contrário de muitos fãs, eu nunca me animei com uma possibilidade da J.K. Rowling continuar Harry Potter. O que desperta meu interesse são prequelas - os filmes de Animais Fantásticos, e sonho com algo sobre os marotos, os fundadores de Hogwarts. Então, o anúncio de Cursed Child não me empolgou muito.

Pra completar, eu não mantive o segredo, li os spoilers da peça sem dó e a história ali apresentada me desanimou mais ainda. Mas esperei até o lançamento do roteiro para poder formar minha opinião mesmo.

Harry Potter and the Cursed Child (a Criança Amaldiçoada) é uma peça teatral e foi baseada em uma história da J.K. Rowling. É continuação direta do epílogo do sétimo livro.

Albus, o fiho do meio de Harry, é o protagonista dessa história. Ele e o pai não têm um bom relacionamento - o garoto não sabe lidar com o fato de ser filho do famoso Harry Potter, e ser da Sonserina não ajuda muito. Ele tem um único amigo, o também deslocado Scorpius Malfoy, filho de Draco, que sofre com boatos de que seria filho de Voldemort. O rumor diz que seus pais, incapazes de terem filhos, teriam usado um vira-tempo para que Astoria engravidasse do Lorde das Trevas.

Não é a primeira menção a um vira-tempo em Cursed Child. Amos, pai de Cedrico Diggory procura Harry (o chefe do Departamento de Execução das Leis da Magia), ao saber que o Ministério da Magia havia capturado um vira-tempo. Ele quer que Potter volte no tempo e salve seu filho. Harry se recusa, mas Albus não só fica sabendo do pedido como decide atendê-lo, auxiliado por Scorpius e por Delphi, sobrinha de Amos.

Todo mundo sabe que mexer com o tempo causa muitos problemas, não é? E não só isso, traz oportunidades para vários furos de roteiro, coisas que não batem com os livros. Os autores podem ter se esquecido delas, mas o espectador/leitor com certeza se lembra.

Outra coisa que eles parecem ter esquecido no churrasco é a personalidade dos personagens. O Harry simplesmente está terrível - ele diz coisas horríveis para o filho e interfere de maneiras que só pioram a situação. E é difícil engolir que a Gina, aquela personagem forte, ia assistir as brigas entre pai e filho e não fazer absolutamente nada. O Rony foi reduzido ao tio da piada do pavê. E me impressiona que a Hermione, agora Ministra da Magia, com todo o histórico de aventuras dela e dos amigos seja enganada tão facilmente por Albus e Scorpius. Isso para não falar na Rose (uma cópia da mãe, só que muito mais rápida em julgar as pessoas) e no Dumbledore e no Cedrico que têm suas personalidades muito alteradas ao longo da peça...

O roteiro se redime com Albus, Scorpius, e por incrível que pareça, o Draco, que se demonstra um pai mais atencioso do que o Harry. Quanto aos amigos sonserinos, eles são a melhor parte da peça. A amizade entre os dois é bonita! E o Scorpius foi meu personagem favorito de toda a história, nunca teria imaginado que um Malfoy pudesse ser tão fofo, haha.

Talvez a história pudesse se salvar se os problemas fossem apenas esses, mas o enredo em si é tão forçado! Motivos que não convencem, soluções absurdas e uma reviravolta que parece ter vindo diretamente de fanfics. (Selecione aqui pra ler o spoiler e entender a minha revolta: A Delphi, a vilã, a criança almadiçoada mesmo, é filha do Voldemort com a Bellatrix. FILHA DO VOLDEMORT! COM A BELLATRIX! Segundo a própria, nascida antes da Batalha de Hogwarts. Quando que Bellatrix teve tempo para engravidar e dar a luz a essa menina?! Sem contar que o fato dela ser filha da Bellatrix não faz diferença nenhuma na história, podia ser qualquer outra bruxa.)

E depois de ter criticado toda a história, eu termino dizendo que você deve dar uma chance ao roteiro - todo mundo tem opiniões diferentes, e vi várias pessoas dizendo que adoraram e se emocionaram. Só que tem que lembrar que é um roteiro mesmo e é tudo muito rápido, mas pelo menos comigo esse formato não me atrapalhou. Além disso, acho que essa é só a versão para ensaios, talvez tenham diferenças na definitiva.

Digo também que eu adoraria assistir a peça. Penso que o cenário, os efeitos - fico só imaginando como os feitiços devem ser feitos! - e as atuações compensem! :)

5.8.16

Leituras de Julho


Minha expectativa para o mês de férias era diminuir consideravelmente minha lista de leitura. Não deu muito certo. Ainda assim, acho que esse post ficou enoorme, porque eu não sei ser sucinta, né. Mas aí vai o que eu achei dos 2 livros e meio que li em julho.

Azeitona – Bruno Miranda

Em Azeitona, Ian e Emília, colegas de classe, fingem que estão esperando um bebê para poder participar do programa Novos Pais, um reality show que foca em gravidez adolescente. Acontece que eles não estão grávidos – a participação dos dois é totalmente motivada pelo cachê. Ele, quer o dinheiro para ajudar a irmã, sua única família e quem o criou; e ela, quer condições para poder sair da casa dos pais.

Eu adorei a proposta de Azeitona. Qualquer coisa na linha de “Vamos fingir que a gente namora pra…” me atrai, e posso ter visto essa ideia umas mil vezes que eu ainda vou querer ler. Então, amigos fingindo que estão esperando um bebê para entrar num reality show? Automaticamente já estava na minha lista de leitura.

Né, imagina mentir para o país inteiro
que tá grávida...

Acontece que eu demorei só uns dez anos para terminar o livro. Comecei a leitura e aí não rolou aquele “amor” pelos personagens. Não consegui estabelecer uma ligação com eles, porque achei que foi tudo meio superficial. A personalidade dos personagens, seus relacionamentos, e os temas como a gravidez, filhos, namoros – nada disso foi aprofundado e eu fui ficando desinteressada, sim. O relacionamento do Ian com a irmã, Iris, foi o principal do livro e o mais desenvolvido, porém senti muita falta de um diálogo melhor entre os protagonistas.

Mas a parte do Ian e da Emília participando do Novos Pais foi divertida, o total despreparo dos dois diante da situação só refletia o quanto eles não deviam estar fazendo aquilo – e nessas horas eu até que pegava um pouco do nervosismo deles, imagina se a mentira fosse descoberta – e ainda rendia algumas situações engraçadas.

Lá pro final acontece um monte de coisa e é tudo muito rápido, deixando várias pontas soltas. Não me convenceu e eu fiquei com a sensação de que poderia ter sido trabalhado melhor.

Esse é o tipo de livro que me faz querer que o Skoob coloque um sistema de nota que permita dar meia estrela, porque Azeitona pra mim é um livro 2,5. É interessante, é engraçado, e ganha uns pontinhos por todo o tema nas relações familiares, mas eu acho que mais conteúdo poderia ter sido acrescentado.

 

O Pedido – A Mediadora – Meg Cabot

A Mediadora é uma das minhas séries favoritas, uma das responsáveis pelo meu amor pela leitura. Então recebi a notícia de que a Meg ia lançar mais um livro com felicidade (e um pouco de apreensão, pra ser sincera). Antes do sétimo livro, o conto O Pedido foi disponibilizado.

Li o último livro em 2009, então foi bom voltar a ler sobre a Suzannah e o Jesse! E pra quem não sabe, a Suze é uma mediadora, capaz de ver e tocar em fantasmas. Mas não precisa se preocupar, porque a autora explica tudo isso de novo, assim como o relacionamento dela com o Jesse. Acredito que seja pra lembrar os esquecidos e/ou para conquistar novos leitores, então não me incomodei com a repetição de todas as informações que eu já sabia. E fazer isso no conto é ótimo, porque aí no próximo livro não é necessário por tudo de novo.

O caso aqui é curto: um fantasma que “assombra” o túmulo da namorada que ele supostamente matou… Então a Suze vai atrás dele, para convencê-lo a fazer a passagem. Tudo estaria quase certo se não fosse bem no Dia dos Namorados, o qual ela está passando longe de Jesse. E claro que, depois o título faz todo o sentido. :)

Eu gostei bastante e li bem rapidinho. A Suze foi uma das personagens favoritas da minha infância, então adorei poder acompanhá-la agora que estamos ambas mais velhas. Ficaram algumas pontinhas soltas para o próximo livro e eu estou mais ansiosa do que nunca para lê-lo!

 

Para Todos os Garotos que Já Amei – Jenny Han

Eu já tinha visto esse livro várias vezes mas não peguei a sinopse completa, achava que era só sobre o “vazamento” das cartas que a Lara Jean escrevia para os garotos de quem ela já tinha gostado, e isso não tinha me interessado muito. Até que um dia eu li a sinopse toda…

Órfã de mãe, a Lara Jean é a irmã do meio, e agora Margot, a irmã mais velha, que sempre cuidou de tudo está se mudando para fazer faculdade. Então além de ter que lidar com as novas responsabilidades com o pai e a irmã mais nova, ela ainda tem que enfrentar todos os crushes sabendo de seus sentimentos. E o pior é que um deles é Josh, o ex de Margot. Então ela finge que está namorando o Peter – um dos garotos que também recebeu uma carta – num acordo que beneficiam ambos. Recapitulando uma parte de Azeitona ali em cima: Tudo com namoro falso me atrai!

Adorei o livro! Vemos bastante sobre a família da Lara Jean, e ultimamente todo YA que ganha o meu coração fala de família. A mãe das meninas era coreana, então também tinha um pézinho ali numa cultura diferente que as meninas procuravam manter (assim como a autora, eu presumo). Me identifiquei um pouco com a protagonista, não na situação, mas no jeito dela pensar e agir. Ela consegue ser ingênua sem ser irritante. E eu gostei muito dos outros personagens, até quando começou a virar um triângulo amoroso, mesmo eu tendo torcido muito por um dos meninos (o Peter ♥) ainda gostava do outro.

Já estou com a continuação aqui, porque o final em aberto me deixou louca para ler P.S.: Ainda Amo Você.

 

Como foram as leituras de vocês? Já leram ou querem ler algum desses livros? :)