11.7.16

O Que Tenho Amado Nessas Férias #03


Cheguei com mais um post de férias onde eu falo de coisas que, bem, como diz o título, tenho gostado durante esse tempo de ócio. É capaz de eu fazer mais um depois, porque estou só no começo das férias mas já consegui falar demais, olha o tamanho desse post, haha! Enfim, vamos lá.

Make Happy – Bo Burnham

No final do semestre da faculdade, quando eu estava sofrendo com meu projeto interdisciplinar (pouco tempo, muita coisa pra fazer e tudo dando errado), eu esbarrei num vídeo de um cara falando que ia cantar sobre os problemas da vida dele. E aí, com uma voz cheia de auto-tune, ele manda um “Não consigo enfiar a mão na lata de Pringles”. Eu ri por uma meia hora. Esse vídeo é do especial de comédia Make Happy, do Bo Burnham (que é humorista, compositor, escritor, músico, etc. etc) disponível na nossa amada Netflix. Tem 1h de duração, e é um stand-up onde as principais tiradas são apresentadas em músicas.

Shows de stand-up não são a minha praia, não os assisto e não estou familiarizada com os principais comediantes, sejam os brasileiros ou os do exterior. Além do que eu fico automaticamente analisando todas as piadas, e tem gente que adora usar o humor para ofender as pessoas e tudo isso me deixa desconfortável. Mas pelo o fato de ter música, e bom, a reclamação sobre Pringles fizeram me dar uma chance para esse especial.

E eu acabei ficando desconfortável algumas vezes sim, não vou mentir, mas ainda assim que num geral o saldo foi positivo. O especial parece girar em torno do o que nos faz felizes e as críticas que o Bo faz são válidas, envolvendo a indústria do entretenimento, o modo de vida, relacionamentos. Achei até honesto, quando ele admite suas inseguranças para a audiência – na própria música sobre as latas de Pringles, que parece algo bobo, mas que Bo torna complexo. E lá pelo final, ele te questiona se você está feliz. 

Não é perfeito, mas serviu para me distrair, refletir um pouco e algumas das músicas simplesmente grudaram na minha cabeça – como a crítica as letras vazias em músicas country, a história de um término de namoro, e claro, as enormes dificuldades na vida de um homem branco hétero…

 

Hamilton

Hamilton é um musical de hip-hop que conta a história de um dos pais fundadores dos EUA,  Alexander Hamilton. Estreou ano passado na Broadway e tem feito um enorme sucesso – foi o musical com o maior número de indicações ao Tony Awards (o Oscar do teatro), famosos já foram assistir, e no momento todos os ingressos estão esgotados (aguarde 2017!).

A história acompanha Alexander Hamilton, falando de sua infância até sua morte. O número de abertura, além de resumir a história de Hamilton, apresenta os personagens e a relação de cada um com o protagonista. O curioso é que Aaron Burr – “o maldito tolo que atirou” em Hamilton – é o narrador. O musical, logicamente, também fala da Independência dos Estados Unidos, então George Washington e Thomas Jefferson estão presentes.

E aí que entra o diferencial de Hamilton: só tem um ator branco no elenco principal (e ele ainda é o Rei George III, da Inglaterra). Os pais fundadores e demais figuras históricas do EUA são interpretados, em sua maioria, por atores negros e latinos. É, Hamilton é a história dos Estados Unidos cantada por um elenco diverso em estilo hip-hop.

Juntando o fato de que muita gente ainda não conseguiu assistir o musical com o quão viciante as músicas são, o álbum de Hamilton (que ganhou um Grammy) também tem feito sucesso (meu Spotify não nega). Ele inclui tudo o que é falado/cantado no musical, então dá pra acompanhar a história mesmo sem assistir. O único lado negativo é que não dá pra acompanhar a velocidade que os atores fazem rap, haha.

Sou mais do que suspeita para falar, porque gosto de musicais e sei que não é gênero que agrada todo mundo,  mas deixo aqui a minha recomendação mesmo assim. :)

 

O elenco de Hamilton apresentando My Shot na Casa Branca, e Alexander Hamilton (a abertura) no Grammy 2016

4 comentários:

  1. achei muito interessante esse musical de epoca hip jop, super diferente :)

    http://www.jackblog.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Beatriz! Que indicações diferentes! Eu também não tenho o hábito de assistir a stand up, mas esse parece interessante. Eu gosto de musicais, mas não gosto muito de hip hop, então não sei se Hamilton me agradaria muito...

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não gosto muito de hip hop, e até relutei um pouco pra ouvir Hamilton por causa disso, mas é muito bom! E também tem outros ritmos, como R&B, até britpop... Só sei que viciei nas músicas super rápido :D Dá uma chance, haha.

      Beijos!

      Excluir