6.7.16

Como Eu Era Antes de Você


24 filmes para 2016Tema: Portador de deficiência


Como Eu Era Antes de Você
Dirigido por:
Thea Sharrock
Elenco: Emilia Clarke, Sam Claflin
Duração: 1h50
Gênero: Romance, drama
Rico e bem sucedido, Will (Sam Claflin) leva uma vida repleta de conquistas, viagens e esportes radicais até ser atingido por uma moto, ao atravessar a rua em um dia chuvoso. O acidente o torna tetraplégico, obrigando-o a permanecer em uma cadeira de rodas. A situação o torna depressivo e extremamente cínico, para a preocupação de seus pais. É neste contexto que Louisa Clark (Emilia Clarke) é contratada para cuidar de Will. De origem modesta, com dificuldades financeiras e sem grandes aspirações na vida, ela faz o possível para melhorar o estado de espírito de Will e, aos poucos, acaba se envolvendo com ele. [FILMOW]
Faz anos que li Como Eu Era Antes de Você, da Jojo Moyes, e como gostei do livro fiquei animada com a notícia de a história de Lou e Will viraria filme. Finalmente chegou a hora de conferir a adaptação. Não lembro de todos os detalhes do livro, mas acredito que o filme se manteve bastante fiel a este.

Não sei se é porque acabei de ler a continuação onde a Lou aparece mais madura, mas achei sua versão do filme um tanto quanto ingênua e alegre demais, e além disso, senti que a Emilia Clarke (que eu gosto muito em Game of Thrones) exagerava em algumas expressões. :/ Mas ela não deixa de ser divertida, seu maravilhoso guarda-roupa e jeito atrapalhado arrancaram várias risadas de mim e do restante da sala.

Eu gostei bastante do Will. Ele era todo rabugento no começo e com a convivência com a Louisa ele vai mudando. Adoro a progressão do relacionamento dos dois, é algo que vai acontecendo naturalmente, não é de uma hora pra outra. Durante a minha sessão eu conseguia ouvir o pessoal torcendo, falando coisas como "Beija logo!", então talvez só eu não tenha ficado impaciente, haha.

Sei que o filme teve certa desaprovação de quem é deficiente físico, e dá pra entender perfeitamente o porque eles não o apreciaram. Mas ao mesmo tempo eu entendo as dificuldades e os motivos do Will. Eu fico em cima do muro até hoje com o final dessa história, sou capaz de argumentar tanto contra quanto a favor, de achar o Will egoísta e ao mesmo tempo altruísta, e mesmo assim não chego a uma decisão. Acho que o mais correto é assumir uma postura de "Não sou capaz de opinar".

Chorona do jeito que sou, fui preparada para me afogar em lágrimas, mas, surpreendentemente, resisti firme e forte até o final! O mesmo não pode ser dito do pessoal da sala, porque a partir de certo ponto no filme as risadas foram dando lugar as fungadas, então, esse é um filme para assistir com os lencinhos. Mas mesmo com tudo isso, eu acho que a mensagem que fica é positiva, para viver a vida intensamente.

2 comentários:

  1. Hey, Bia, amei a sua resenha, não que eu concorde, na verdade eu discordo de algumas partes (eu também fiz uma resenha lá no RC http://goo.gl/ndGk55), mas eu achei sincera e acho que isso é o que faz uma crítica ser boa! Eu sou muito emotiva também, mas nesse filme eu realmente não senti um pinguinho de vontade de chorar, mas eu vi muita gente se desfazendo em lágrimas na sala de cinema também!

    Beijos, Barbara!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou comentar sua resenha, Barbara, achei muito boa! E o pessoal tava chorando muito na sessão que eu fui e eu lá, sem chorar, até me surpreendi, haha.

      Beijos!

      Excluir