25.6.16

Lendas do Crime


24 filmes para 2016Tema: Biográfico


Lendas do Crime
Dirigido por:
Brian Helgeland
Elenco: Tom Hardy, Emily Browning, Taron Egerton
Duração: 2h12
Gênero: Biografia, drama
Os gêmeos Ronald Kray e Reginald Kray (Tom Hardy) foram gangsters que aterrorizavam Londres na década de 60. Por trás de inúmeros assaltos à mão armada, ataques e assassinatos, eles ainda eram donos de uma das casas noturnas mais famosas da cidade. Baseado no livro "The Profession of Violence: The Rise and Fall of the Kray Twins" de John Pearson, que conta a história real dos gêmeos Kray. [FILMOW]
Tom Hardy em dose dupla - foi essa a minha principal motivação para assistir ao filme, e ele não me decepcionou na pele dos gêmeos Ronnie e Reggie Kray.

Os Kray eram gangsters na Inglaterra, durante os anos 60. Cometiam crimes, eram donos de clubes, subornavam policiais, políticos e eram envolvidos com famosos. O filme começa com eles já estabelecidos e os acompanha até a queda.

Eu senti que o filme deu mais destaque ao Reggie, principalmente porque a narradora do filme é Frances (papel de Emily Browning), sua namorada, então grande parte da história é dedicada ao romance dos dois. Gostei muito dela (e de seu visual, o figurino era lindo) e a personagem me surpreendeu no fim do filme. Já Ronnie, que era esquizofrênico, fazia várias "burradas" que sobravam para o irmão tentar consertar.

Achei a primeira meia hora um tanto quanto lenta, mas depois estava entretida, principalmente quando foi chegando no final, em que eu mal percebi o tempo passar. E, sabendo que ambos personagens eram interpretados pelo mesmo ator, eu prestava atenção redobrada nas cenas em que eles apareciam lado a lado - e essas foram bem poucas, talvez porque em todas dê pra perceber algo um pouco esquisito...? Não ficou uma junção a la Orphan Black não, mas não foi nada que prejudicasse o filme, haha.

Apesar de serem os protagonistas, não consegui torcer pelos Kray. Me interessei pela história, sim, mas achei que o desfecho foi justo. A única personagem que despertou minha simpatia foi a Frances, que eu penso que não merecia estar no meio disso tudo.



E se você gosta de filmes, aproveito para recomendar uma tag que a Ana Carolina começou no blog dela, a Netflix Além. Eu participei desse primeiro post, e falei o que achei do filme Shame, protagonizado pelo Michael Fassbender. E sim, é aquele em que ele aparece como veio ao mundo! Só passar lá pra ler. :)

6 comentários:

  1. Olá, tudo bem?
    Eu e meus primos estamos organizando um cineminha em casa, e como a maioria é meninos, eles querem filmes um pouco mais com ação, fiquei encarregada com o filme, estava meio em duvida de qual levar, mas agora tenho a certeza que será esse daí!!!
    Ps: Seu blog é muito fofinho, ganhou uma nova seguidora, hehehe!!!

    http://my1life2in3books.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não diria que o filme tem taaanta ação, mas toda essa história de gangues talvez os agrade :D

      Beijos!

      Excluir
  2. Nossa, nem sabia da existência...gosto do Tom Hardy e da Emily Browning <3. Embora não goste muito de filmes nesse estilo, vale a pena ver só por causa deles hahahaha.

    Beijos
    http://orangelily.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou bem dessas também, quando tem um ator que eu gosto eu assisto o filme só por ele (foi bem o caso aqui com o Tom Hardy).

      Beijos!

      Excluir
  3. Eu curti esse filme, comecei a ver na minha semana Tom Hardy. Quando curto muito um ator, assito tudo que der hahaha E esse filmes, estava com boas recomendações. Porém, achei bemmm lento, quase desisti dele e como aconteceu com você - de uma hora para outra o filme acabe te prendendo e ai acaba hahaha Também não torci pelos Krays, mas, no fundo acho que era a intenção do filme né. Vou dar uma conferida na TAG <3

    Beijos
    http://www.dontstopblog.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também, quando gosto do ator assisto tudo, até uns filmes duvidosos hahaha É o caso com o Tom Hardy. Mas no final até que gostei do filme, só o começo que foi lento mesmo.

      Beijos!

      Excluir