25.12.15

Reading Challenge 45/50


   Um livro com mais de 100 anos

O Mágico de Oz

O Mágico de Oz – L. Frank Baum

Sobre o que é: Um ciclone acaba por levar a casa de Dorothy – com ela e seu cachorro totó dentro – para a Terra de Oz. Lá, ela descobre que para voltar para o Kansas, será preciso até a Cidade das Esmeraldas e pedir ajuda para o Mágico. No caminho, ela faz amigos – o Espantalho, o Homem de Lata e o Leão – que também tem pedidos para fazer para o Mágico. Mas a jornada não é tão simples quanto parece… 

O que eu achei: Wicked é um dos meus musicais favoritos – e ele foi baseado em um livro (Maligna, de Gregory Maguire), que por sua vez, foi baseado em O Mágico de Oz. Quero ler Maligna, e por isso, achei que seria bom ler o clássico. Já conhecia a história, tendo visto o filme e outras adaptações, mas foi interessante ler o livro e pegar as referências, entender de onde surgiram certas coisas nessas outras obras. Além disso, serviu para me mostrar que algumas certezas – como a Bruxa Má do Oeste ser verde – não vêm do livro, haha. É uma história muito bonitinha, eu só sinto que fui “corrompida” por todas essas releituras, e por causa disso não consigo simpatizar muito com o Mágico em si, haha.


   Um livro banido

As Vantagens de ser Invisível

As Vantagens de ser Invisível – Stephen Chbosky

Sobre o que é: O livro é o conjunto de cartas que Charlie escreve para um amigo. Nelas, ele aborda assuntos como novas amizades, relacionamentos, sexo e drogas. Não se sabe se o destinatário da carta existe, mas como leitor, é fácil se encaixar nesse papel e se preocupar com a vida de Charlie.

O que eu achei: Ouvi tanta gente falando bem desse livro e do filme, mas até então não tinha visto nenhum dos dois. E fiquei decepcionada. O livro me deu a impressão de que não vai a lugar nenhum, sabe? Ainda que um ano da vida de Charlie seja contado, é muito focado nos sentimentos – é só como ele sente em relação aos amigos, aos pais, aos irmãos… E os amigos que ele arruma, a Sam e o Patrick, fazem muito o estilo de “nossa, eu bebo e uso drogas, olha como eu sou legal”. Eu cheguei a pensar que o Charlie pudesse ter algum transtorno, já que ele é muito introvertido e inocente, mas isso não fica claro no livro. O final ajuda a entender porque ele é assim, e foi realmente a única parte do livro que me surpreendeu – e não me fez gostar do livro, porque infelizmente foi uma revelação triste. Perdi até a vontade de ver o filme. :/


   Um livro que um amigo recomendou

Fundação

Fundação – Isaac Asimov

Sobre o que é: Hari Seldon, com sua psico-história, preve que o Império Galáctico irá cair. Com isso, uma equipe de cientistas é colocada em um planeta, Terminus, para escrever a Enciclopédia Galáctica – o que, segundo Seldon, poderia atenuar a queda do império. Estava formada a Fundação.

O que eu achei: Estava há mais de um ano enrolando para ler esse livro. Do Asimov, já tinha lido “Eu, Robô”, e ainda acho que as Três Leis da Robótica – e como elas foram aplicadas nesse livro – são fantásticas. Fundação não me empolgou tanto. Achei a história interessante, mas, dividido em cinco partes, o livro dá uns saltos na história, o que me deixou um pouco confusa. Não tem protagonistas claros, já que cada parte se passa numa época diferente. E além disso, o livro envolve bastante política. Ainda que esse primeiro livro não tenha me agradado tanto, acabei me interessando por essa sociedade que Asimov criou e ficando curiosa para ler o resto da série. :)


   Um livro que te assusta

O Fantasma da Ópera

O Fantasma da Ópera – Gaston Leroux

Sobre o que é: Uma figura assombra a Ópera de Paris, fazendo várias exigências que os diretores têm que cumprir. Uma dessas exigências era em favor da jovem cantora Christine Daaé, por quem o Fantasma é apaixonado. Mas ele não é o único que deseja Christine, já que Raoul, o Visconde de Chagny e antigo amigo de infância da cantora chega para completar o triângulo amoroso.

O que eu achei: Quando eu tinha uns nove anos, assisti ao filme musical. Dizer que eu fiquei com medo é um eufemismo, eu fiquei com um pavor que nenhum outro filme, nem mesmo os de terror, tinham conseguido provocar. Tanto que, mesmo adorando musicais, até hoje eu nunca o reassisti. Anos depois, ao me deparar com esse tema do Reading Challenge, não consegui achar nenhum livro que realmente me assustasse e pensei que poderia encaixar o Fantasma em memória ao meu medo de infância. Mas quem disse que eu conseguia ler a noite antes de dormir? Hahaha. Ainda assim não conseguia largar o livro. Christine e Raoul são o casalzinho bonitinho, quase melosos, mas ainda assim achei impossível não torcer por eles. Erik, o Fantasma, é que uma figura que ao mesmo tempo que causa pena, também é capaz de gerar medo e horror. Mesmo com esse conflito de emoções, não dá pra ficar do lado dele. Gostei bastante do livro, e agora estou aqui tentando juntar coragem pra ver o musical de novo, só superar a máscara do Erik, isso que no filme ele é até bonito, hahaha.


   Um livro que se passa no Natal

Um Conto de Natal

Um Conto de Natal – Charles Dickens

Sobre o que é: Ebenezer Scrooge é um homem avarento, rabugento e solitário, que não poderia ligar menos para o Natal. Na véspera, ele é visitado por três fantasmas do Natal, o do passado, do presente e do futuro, que o levam por uma viagem entre visões que o fazem repensar sua vida.

O que eu achei: Eu conhecia essa história por causa do desenho com o Tio Patinhas, haha! E aí agora descobri que o nome dele em inglês é Uncle Scrooge porque foi baseado nesse livro. Achei muito bonitinha, com uma mensagem importante – que o que realmente importa são as pessoas, os sentimentos, e não os bens materiais, ainda que, como mostra a história, eles possam ser usados para fazer o bem. :) Esse foi o segundo livro do Charles Dickens que eu li – o primeiro foi Great Expectations – e eu gostei bastante, é bem curtinho, então deu pra começar e terminar nesse dia 25. Recomendo!

 

Uma semana pra acabar o ano e eu ainda tenho 4 livros pra ler. Desespero bateu aqui, haha.

2 comentários:

  1. Antes de mais nada tenho que dizer que adoro visitar seu blog. Seu layout é lindo, e eu gosto muito da forma como elabora as postagens! Agora, voltando ao assunto do post, eu adorei As Vantagens de ser invisível, mas fiquei meio boba com o fim do livro. Do tipo que você para e pensa "HAN?". Tive que voltar em algumas partes até o final começar a fazer sentido para mim KKKK Essa edição do Mágico de OZ é simplesmente linda, ainda quero ter em minha coleção, e os outros são clássicos! Todos muito legais <3 Um beijo : * Ha, e feliz ano novo!

    www.fleurdelune.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz de saber disso, Lettícia, já que seu blog é um dos que eu mais admiro, adoro seu layout também e seus posts! :D
      E eu fiz isso também, li umas duas vezes, e ainda fui olhar as resenhas pra ver se era o que eu tinha entendido mesmo!
      E o Mágico de Oz é lindo mesmo, a capa dura é tudo!
      Beijos!

      Excluir