22.9.15

Batons Savana da Contém 1g e Vermelindo da Quem Disse Berenice


Eu não entendo muita coisa de maquiagem – e venho fazendo minhas pesquisas, comprando produtos novos, já que é um assunto que me interessa. Mas apesar disso, mesmo quando eu não ligava mesmo, eu sempre gostei de batons, é uma coisa que eu sempre uso!Então com essa de “vou postar o que eu eu quiser”, me deu vontade de postar sobre os meus dois novos batons, haha!


Paguei R$46 na loja física da Contém 1g. Mais informações aqui.
O primeiro é o Savana Mate da Contém 1g. Esse tom de vinho vem fazendo bastante sucesso, eu o vejo em todo lugar e já estava apaixonada! O problema era que apesar disso eu ainda não sabia se comprava ou não. Por exemplo, o batom mais “extravagante” que eu tenho é o Relentlessly Red da MAC, que é um vermelho rosado, que dependendo da luz pode até parecer meio neon, haha.  Aí por isso estava super em dúvida sobre comprar esse vinho escuro, e se não ficar bom, vai que fica muito escuro… Mas a atendente da Contém 1g foi muito atenciosa, me explicou tudo direitinho, me fez experimentar o batom, e eu acabei levando mesmo!

O Savana tem essa coisa de camadas – quanto mais você passar, mais escuro ele fica! Eu passo uma camada só. Ele é mate, mas é bem fácil de passar, não é tão seco, porém, é importante ter a boca hidratada, porque senão ele acaba marcando as “pelinhas” se os lábios estiverem secos. Transfere um pouquinho, mas não achei nada de anormal, e depois eu já conseguia tomar algo sem marcar nada no copo. Saí com ele, comi, bebi, e seis horas depois ainda estava ok! Fiquei bastante satisfeita.

 

Foi brinde, mas o batom custa R$25,90. Mais informações aqui.

O outro batom é o Vermelindo da Quem Disse Berenice. A marca criou a promoção “não é pra mim”, dizendo que não tem essa de que não podemos usar um produto – e com isso, te dando um brinde. Me cadastrei na promoção, e na data escolhida fui buscar um batom vermelho! Escolhi o Vermelindo, que eu achei que fez jus ao nome, rs. É o primeiro batom realmente vermelho que eu tenho – também tinha lá meus receios de comprar um – e eu me surpreendi com o quanto adorei a cor.

É um batom cremoso, então ele transfere bastante, mas já era algo que eu esperava justamente por causa desse acabamento. Ainda assim, achei que segurou bastante por algumas horas, depois de comer e beber. Faz tempo que só uso batom mate, então acabei gostando bastante da textura desse batom e da sensação de lábios hidratados depois que tirei, haha.  Achei a cobertura ótima também!

 

Fiquei bastante feliz com os batons novos! O único problema é que a felicidade não diminui meu desejo de comprar mais batons, haha. Mais alguém também os adora?

17.9.15

Homem-Formiga


  24 filmes para 2015Tema: Tecnologia


Dr. Hank Pym (Michael Douglas), o inventor da fórmula/ traje que permite o encolhimento, anos depois da descoberta, precisa impedir que seu ex-pupilo Darren Cross (Corey Stoll), consiga replicar o feito e vender a tecnologia para uma organização do mal. Depois de sair da cadeia, o trambiqueiro Scott Lang (Paul Rudd) está disposto a reconquistar o respeito da ex-mulher, Maggie (Judy Greer) e, principalmente, da filha. Com dificuldades de arrumar um emprego honesto, ele aceita praticar um último golpe. O que ele não sabia era que tudo não passava de um plano do Dr. Pym que, depois de anos observando o hábil ladrão, o escolhe para vestir o traje do Homem-Formiga.


Eu não tinha muitas expectativas para esse filme – e aparentemente ninguém tinha. Isso mudou quando eu vir o trailer e aí foi difícil arranjar companhia para assistir, porque todo mundo estava muito “Nah, esse eu posso esperar sair em DVD.” Mas eu fui ver no cinema! E gostei mais do que Vingadores. *polêmica*

O filme é engraçado, bem no nível Marvel mesmo. O próprio Scott já é bem humorado, mas o amigo dele, Luis, é o alívio cômico – assim como os outros que “trabalham” com ele.

http://stubblybucky.tumblr.com/post/127032341021
- Lembra do que o iceberg fez? 
- Sim, cara. Matou o DiCaprio. 
- Matou todo mundo. 
- Não matou a senhora. Ela ainda jogou a joia no oceano.


Achei interessante a história do Hank Pym e do traje (que conta até com a participaçãozinha da Agente Carter, aquela linda), além de todo o plano para abordar o Scott. A Hope me agradou bastante também, e aguardo ansiosamente pra ela ganhar mais destaque. A dinâmica entre os três é boa, é legal acompanhar o treinamento do Scott – e ei, formiguinhas fofas, haha.

O vilão me decepcionou um pouco, porque é mais um vilão genérico da Marvel, mas ele não chega a atrapalhar. Funciona como obstáculo de história de origem. As lutas são bem legais de ver, porque eles ficam nessa de encolher/aumentar, e quando eles param de focar nos personagens para mostrar o cenário é bem engraçado ver que eles não passam de dois pontinhos brigando, haha.

Gostei também da ligação que teve com Vingadores, achei uma certa participação bem bacana!

Acabei adorando o filme – talvez  porque eu tenha ido sem expectativas – e aguardo o próximo! Espero que seja tão bom quanto o primeiro. :)

8.9.15

Cidades de Papel


  24 filmes para 2015Tema: Viagens


"Cidades de Papel" é uma história sobre amadurecimento, centrada em Quentin (Nat Wolff) e em sua enigmática vizinha, Margo (Cara Delevingne), que gostava tanto de mistérios, que acabou se tornando um. Depois de levá-lo a uma noite de aventuras pela cidade, Margo desaparece, deixando para trás pistas para Quentin decifrar. A busca coloca Quentin e seus amigos em uma jornada eletrizante. Para encontrá-la, Quentin deve entender o verdadeiro significado de amizade – e de amor.

Acho que Cidades de Papel foi o que eu menos gostei dos livros que li do John Green – algumas coisas me lembravam muito Quem é Você, Alasca? e pra completar eu não ia muito com a cara dos protagonistas.

O filme ficou bem fiel ao livro e me lembrou exatamente do que eu não gostava, haha. A Margo simplesmente não me agrada, ela me parece tentar demais ser diferente. Apesar disso, acho o conceito das Cidades de Papel interessantes, e mesmo não compreendendo, não acho errado o fato da Margo não querer se contentar com a vida comum (faculdade, casamento, filhos…) que somos ensinados a almejar.

Mas o Quentin, na minha opinião, consegue ser pior. Ele gosta dela desde os 9 anos, mesmo que tenham passado anos sem se falar. Aí depois de se aproximarem em uma noite, Margo some e Quentin vai seguindo as pistas dela. Só que ele fica chato. É quase uma obsessão achar a Margo e eu só queria poder berrar pra ele “Tenha mais amor próprio!”.

A melhor parte (em ambos livro e filme) é a road trip que Quentin faz com os amigos – Radar, Ben, Lacey e Angela – em busca da Margo. Radar e Ben (esse último, principalmente) são personagens engraçados e os responsáveis pelas risadas. E aí juntando todos nessa viagem conometrada é a parte mais divertida, sem dúvidas.

E a história toda se salva aos meus olhos quando chega ao final, que eu achei muito bom! Foi o que o Quentin merecia. O ponto importante não era o relacionamento dos dois, mas o quão ruim e não saudável é idealizar uma pessoa – que na verdade pode ser beem diferente do que você imagina, já que você não a conhece de verdade. Então achei ótimo como isso foi tratado.

Eu gostei do filme. Não achei melhor ou mesmo tão bom quanto A Culpa é das Estrelas (como li em algumas resenhas), mas eu já tinha ido com essa expectativa por causa do livro. Acho que vale a pena, porque gosto da mensagem que ele passa, ainda que possa demorar um pouquinho a cativar o espectador.

http://kunefesevdalisi.tumblr.com/post/126198983556