8.6.14

A Culpa é das Estrelas


A Culpa é das Estrelas
Diagnosticada com câncer, Hazel Grace Lancaster (Shailene Woodley)
se mantém viva graças a uma droga experimental. Após passar anos lutando com a doença,
a jovem é forçada pelos pais a participar de um grupo de apoio e logo conhece Augustus
Waters (Ansel Elgort), um rapaz que vai mudar completamente a sua vida.

Esse é o primeiro post do blog. Eu tinha pensado em fazer uma introdução, ou algo do tipo, mas no final acabei decidindo falar daquilo que foi o empurrão final para eu criar o blog.
Assisti A Culpa é das Estrelas na última sexta-feira, e embora eu já tenha comentado brevemente com algumas pessoas o que eu achei do filme, não é a mesma coisa do que escrever aqui...

"Às vezes, um livro enche você de um estranho fervor religioso, e você se convence de que esse mundo despedaçado só vai se tornar inteiro de novo a menos que, e até que, todos os seres humanos o leiam."
A Culpa é das Estrelas - John Green

Eu o li há dois anos, e não foi só o livro que eu mais gostei do John Green, como também se tornou um dos meus favoritos. O problema é que eu me enchi do tal fervor religioso e ninguém tinha lido/o livro só estava disponível em inglês/eu não tinha com quem comentar. O que foi logo solucionado, quando a Intrínseca o lançou aqui, agora todos já ouviram falar de A Culpa é das Estrelas.

E ainda assim eu estava convencida de que ia ao cinema sozinha, porque não tive tamanha dificuldade para arranjar companhia nem quando fui ver Meu Namorado é um Zumbi. Era só falar que eu ia assistir ACEDE e as pessoas ficavam "meh, me recuso a ir ver esse filme". Ainda estou me perguntando se foi porque não gostaram da história, ou se é porque é "modinha"... Enfim, no final, achei dois colegas - que também iam ver o filme sozinhos - e fomos juntos. O acabou sendo muito legal e rendeu até piadas internas. Também foi em partes loucura, porque São Paulo estava um caos com a greve de metrô, e ao invés de irmos pra casa, lá estávamos, no cinema. E não fomos os únicos com a mesma ideia, porque a sessão estava cheia.

Um dos meus maiores medos quando anunciaram que o filme seria feito, é de que não fosse fiel ao livro. E nem estou falando de todos os acontecimentos, porque sempre estive ciente de que é impossível adaptar tudo igualzinho, me refiro aos personagens, aos sentimentos que o livro me proporcionou. Só posso dizer que saí muito feliz do cinema, porque o filme foi tudo o que eu queria que fosse e talvez um pouquinho mais. Tem certos detalhes do livro que eu amo e eles deram um jeitinho de incluir, me fazendo abrir um sorriso ao detectá-los. Devo dizer que o Ansel Elgort não era nem de longe como eu imaginava fisicamente o Gus, mas agora estou com muita dificuldade de desvincular a imagem dele do personagem, ele foi um Gus excelente.

Também teve a parte de que quando eu li, era só eu e a história. No cinema eu pude ver como os outros estavam reagindo... Ok, não só ver, porque escutei soluços dos quatro cantos da sala. E isso me surpreendeu, porque essa reação me foi inédita, nunca tinha estado em uma sessão onde as pessoas se emocionaram tanto.

Meus amigos gostaram muito, ao ponto de comprarem o livro. E isso me deixou mais feliz ainda, por que lembra do fervor religioso?

Agora só estou aguardando sair em Blu-Ray para eu poder assistir no conforto do meu lar e chorar de novo.

6 comentários:

  1. Bia, primeiro quero agradecer a visita ao meu blog e dizer que amei te ter por lá. Já vi que seu cantinho aqui está no comecinho e fico feliz de poder acompanhar o rumo que vc vai dar a ele. Eu adoro bloggar e espero que vc curta esse espaço novo.
    Eu estou super curiosa para assistir esse filme, mas queria ler o livro primeiro porque quase sempre o livro é mais intenso e melhor mesmo. E conheço esse fervor quase religioso que às vezes criamos por um filme/livro. Espero poder sentir isso com esse livro.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Paula, muito obrigada por seu comentário aqui! Seu blog é muito interessante e vou acompanhá-lo de perto!!
    E entendo isso de ler o livro antes, eu também gosto de fazer isso. Espero que você goste de A Culpa é das Estrelas.
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  3. Hey Bia, então você está começando essa vida agora?!
    Te desejo muita sorte, muita criatividade e se você ama esse tipo de coisa tenho certeza que fará bem feito!! Se precisar de ajuda estarei satisfeita em colaborar ;)

    Li esse livro ano passado e digo uma coisa: não chorei como todas as outras pessoas que leram do meu circulo social, e estou com certo receio de assistir ao filme e derramar todas as lágrimas que segurei lendo o livro, hahaha. Então em todo o caso, pretendo esperar pra assisti-lo em casa*--*

    Beijos (:

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigada, Thamires!! Fico muito feliz com seu comentário!!
    Já acabou acontecendo isso comigo, de ler o livro e não chorar, mas não me segurar ao assistir o filme, hahaha. E a melhor coisa que você pode fazer é ver em casa mesmo, não sei se vai continuar assim, mas na sessão que eu fui as pessoas da sala me distraíram em alguns momentos. :/
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Beatriz! Primeiramente seja bem vinda nesse mundo de blogueira!
    Bom, não li o livro e ainda não assisti o filme. Na minha cidade não estreou, acredita? Isso que da morar no interior. Eu comprei o livro já tem um tempinho, mas ando muito parada com a leitura, tô pensando em começar a lê-lo enquanto espero um link descente pra baixar o filme. :)

    Beijinho! ;*

    ResponderExcluir
  6. Obrigada Mih!!
    E que pena que aí não estreou o filme... Mas vai lendo o livro sim, aí se você gostar pode ver o filme depois! :)
    Beijos!

    ResponderExcluir